terça-feira, 19 de fevereiro de 2013

CAI A NOITE



Eu sou, sou o presente
De lá eu vim - lá eu nasci 
E revivo quando e onde 
As tuas mãos tateiam o meu corpo 
De lá regresso a ti, em viagem
- que te encanta
Lá que eu grito - com coragem 
Que sou eu
A tua outra banda.

Tu, tu és o presente.
Nunca foste no passado
- um reino prometido 
És o chão de intimidade exterior 
No rosto (por mim) reconhecido 
As diversões e agonias 
Os temores e alegrias
A minha outra real fantasia.

Sem comentários:

Enviar um comentário