quarta-feira, 20 de fevereiro de 2013

CAI A NOITE


É assim que leio uma carta
fecho a porta do quarto e me asseguro
que está trancada
para que não me fuja
- a excitação
aí me afasto da porta
para não ser surpreendida
- se alguém bater
aí olho as paredes olho o chão apreensiva
com medo que sei lá
a alma de um rato
esteja à espreita
e devagar e com cuidado
- eu abro a carta

E aí leio que sou
tudo do mundo 
para alguém
nem queira saber
- quem é

E fico suspirando pelo Céu
mas outro Céu não o céu
- que Deus dará.

Emily Dickinson

Ilustração: The Love Letter, by Jules Scalbertpo

Sem comentários:

Enviar um comentário