quinta-feira, 13 de junho de 2013

POLÍTICA, MASSIFICAÇÃO E DOMÍNIO



Lições de Serguei Tchakhotine sobre a propaganda política. De sobre como ela violenta - tão somente para dominar - as massas. É da década de 40 do século passado. Se alguém conseguir apontar algo que não sirva para descrever o que vemos hoje, no Brasil da segunda década do Século 21, conte-me. 

"Encontram-se, a cada passo, nos países "democráticos", instituições que concorrem para esvaziar o ideal de uma verdadeira comunidade. O ideal realizado é o do pai onipotente em relação ao filho que dele depende, do único responsável em relação ao irresponsável, do líder em relação ao liderado."

"Um traço característico da propaganda hitlerista consistia em que se criava, em torno de seu nome, uma espécie de legenda de herói nacional; é óbvio que se tratava de um emaranhado de exageros e frequentemente de inverdades, mas, aqui, ainda uma vez, o caráter da senso-propaganda torna-se manifesto como meio de dominar as massas psiquicamente, de mantê-las num estado de escravidão mental."

"Enquanto as massas de cidadãos não forem majoritárias, enquanto os que as compõem não forem independentes e donos de suas forças psíquicas, falar de democracia é um artifício. Nem o mais liberal dos códigos, nem a mais alta cultura técnica, nem o bem-estar material poderão, por si sós, libertar os homens de uma servidão psíquica, ante a violação organizada." 

"A salvação está no conhecimento do perigo do sistema autoritário no seio da democracia, com todas as suas raízes e ramificações. Encontrar-se-ão, então, forças que saberão adaptar o princípio da autonomia às leis. Pois um país em que a autonomia não é realizada, por exemplo, na escola, entre fugitivos ou entre prisioneiros, não é uma democracia." 
"Mas não bastará combater os neofacismos de hoje, aniquilá-los por meio de uma propaganda e de uma política apropriadas, será necessário construir, na mentalidade dos homens, na estrutura funcional de seus mecanismos de comportamento, os fundamentos, os reflexos, que tornarão impossível o retorno ao estado em que se debate atualmente a humanidade angustiada. As grandes ideias de Liberdade, de Paz, do Amor,  de tudo o que é humanamente sublime, devem se tornar parte integrante de nossa natureza - reflexos condicionados encravados profundamente em cada ser humano." 
Ilustra o post: German photographer - The supreme sa leader - 
Adolf Hitler with his comrades from geschichte der sa - by Wilhelm Rehm 

Sem comentários:

Enviar um comentário