sábado, 3 de agosto de 2013

2014: NÃO PENSAR, INÉRCIA E O RISCO À DEMOCRACIA



Pensar pode até doer, mas eu realmente não acredito nisso, porque dói muito mais a consequência do não pensar. Precisamos perder o medo de pensar, de questionar, elucubrar, de elaborar. É preciso conseguir respostas, e, com elas, chegar à ação.

A democracia (em risco) no Brasil já tem alguma maturidade para nos levar a saber que é preciso "fazer". Ou nós recuperamos a decência ou não vamos fazer nada de bom para o futuro. Temos preguiça, às vezes. Falta energia para trocar ideias, debater, ler, nos informar, aprender, raciocinar e questionar sobre o ocorre, em amplo espectro, no desgoverno da República Dilmista e no "diabo" que o PT assumiu-se capaz de fazer para não apear do poder. A malemolência que demonstramos em não questionar tudo o que nos apresentam nos custará caro. Será impagável, na verdade.

Já estamos no reino da hipocrisia e não vejo outra face para os próximos e últimos meses do (atual) governo de Dilma Rousseff. Com a antecipação de sua campanha pela reeleição, será cada vez pior. A máquina petista de moer adversários está em todos os lugares - e graças à falta de questionamento, inclusive, voltou para "as ruas". Lula já Expirado mas sempre bufão, segue com sua verborragia tanto quanto é possível, logicamente cumprindo o papel de desmoralizar a democracia, como está a fazer no Foro de São Paulo, assim como tantos de seus companheiros de armas - e Oxalá, um dia, de cela - como os criminosos condenados José Dirceu e Genoino, por exemplo. Esses são os alimentadores, fortalecedores e fornecedores da esquerda e do atual governo. 

Mas atentem, isso que fazem e nos apresentam não é da democracia, ao menos não para mim, porque eu não acredito que Lula ou qualquer outro dos seus, bandidos inclusos, defendam alguma ideologia. Na prática os seus atos não se baseiam em nenhuma teoria da ciência política esquerdóide. Matariam Marx, se este já não estivesse mortíssimo, de desgosto puro. O PT e seus operadores não plantam nada. O que o petismo quer mesmo é tão somente implantar seu regime de colheita: aquele que continuará a lhe dar poder e todos os demais meios para se locupletar dele, fazendo "o diabo" para chegar ao segundo mandato da Dilma e o quarto, consecutivo, do partido.

A democracia não é e nem pode ser para permitir tudo. Democracia não é vale-tudo, pois até o vale-tudo, a disputa baseada em artes marciais que agora tem outros nomes que pegam melhor na televisão, segue regras. Já a "democracia" governo-petista é um amontoado de vícios banalizados, um grande salto de incompetências diversas, um espetáculo dramático de crimes, corrupção, falta de vergonha na cara, disseminação de auto-exaltação em propaganda e de mentiras sobre quem lhes ameaça. E muita, muita perseguição à opinião livre, inclusive disfarçada de "liberdade de opinião".

Quem somos os que devemos nos preocupar com isso? Qualquer um que, ao pensar, avaliar e perceber o que acontece, não se conforma com a quebra de uma democracia ainda tão jovem e já quase sem chance de se estabelecer efetivamente. Democracia é para minoria, porque a maioria espúria jamais lidera mudança nenhuma. Essa maioria que hoje comanda o Brasil tende a produzir crises sucessivas até que já não haja mais condição de reação da minoria. Mudança, quem vai conseguir, é a suposta minoria, que não tem representatividade, na prática. Quem deve representá-la, em nome da oposição ao desgoverno, precisa cumprir seu dever para efetivamente construir uma opção viável.

A democracia corre risco quando "o poder" não encontra, diante de si, nenhum obstáculo que contenha sua marcha, de forma que ele possa moderar-se, a si mesmo. É absurdo o pensamento esquerdistamente correto em vigor, que delega ao estado o poder de fazer com que o indivíduo passe da condição de ser pensante e razoável, à condição de animal bruto, autômato, teleguiado. Uma coletividade de comedores de capim ou de escravos faz o estado feliz justamente por não ser fundamentada em vontade livre. Coletividade alguma, isso é fato, expressa liberdade. Por si, pressupõe a supressão do pensamento individual, em nome do "interesse social". 

Tanto falamos sobre liberdade fora do conceito marqueteiro, ilusório e liberticida da igualdade e fraternidade, porque é o valor que mais nos falta, a nós e à nossa "República". À nossa imatura democracia, na realidade, não falta poder. Faltam lei e liberdade. Leis temos demais, mas sem força para serem cumpridas, tornam-se inúteis. Lei e poder, sem liberdade, é despotismo. Liberdade e poder, sem lei, é anarquia. Poder sem lei nem liberdade é tirania. E atentem para isso. Parece que já vivemos uma barbárie assim: poder sem lei nem liberdade é tirania.

Pensar é ato individual mas agir não precisa ser. Ainda temos algumas organizações civis. Talvez deveríamos contar com aquelas que detém a confiança da população, como as igrejas, parcela do Ministério Público não ideológico, talvez algum apoio vindo do Judiciário, através basicamente do cumprimento daquilo que se espera dele, fazer cumprir as leis. E há o braço da imprensa mais livre, que resiste, corajosa, em não se dobrar ao governo. Mas devemos contar, antes, com nossa vontade de, quem sabe, encontrar caminhos. É a decisão pessoal, individual, de cada um de nós em expressar o quanto discorda do que acontece no país há 10 anos, que é capaz de, consequentemente, criar um pensamento coeso e ações idem. 

"Não espero nada, não temo nada. Sou livre.", diz a máxima de Kazantzakis. Eu penso por mim, e expresso apenas por mim mesma as minhas opiniões. Quero Brasil como Nação, e não mais como estepaiz. Quero que o Brasil seja de fato uma República. República só tem lugar onde há poder com lei e liberdade. Liberdade para querer pensar, e a partir daí, expressar que é preciso quebrar esse ciclo petista. 2014 é logo ali. E sim, é possível.

2 comentários:

  1. Cara Amiga Regina,
    Fico muito preocupado quando não vejo uma reação das oposições à altura da gravidade dos fatos que estão ocorrendo, em especial no Rio e em São Paulo, os maiores estados da federação ....
    Está óbvio, para mim, que esses "protestos" tem como objetivo a conquista, pelo #PT, dos governos do Rio e São Paulo, hoje sob o comando do PMDB e PSDB, respectivamente ....
    Não sei se as lideranças do PMDB já enxergaram isso, mas tais fatos são motivos mais do que suficientes para se retirarem da base aliada que dá sustentação a esse desgoverno no Congresso ....
    Fico muito triste ao ver a nossa jovem e frágil Democracia tão exposta, conduzida por facínoras como Dilma Rousseff, Lula, Gilberto Carvalho, José Dirceu e outros trastes que o governo militar resolveu poupar, mas que deveriam ter sido varridos do mapa para nunca mais voltarem ....
    Espero que as oposições, bem como o PMDB,o fiel da balança, reajam a tempo de salvar o Brasil da ditadura que os PeTralhas querem nos impor ....
    Quem viver verá !!!!
    @BobWebBB

    ResponderEliminar
  2. Post importantissimo. Leitura obrigatória em todos os colegios e supletivos da nação.

    Lunarscape

    ResponderEliminar