domingo, 18 de maio de 2014

UMA AMÉRICA A SER DESCOBERTA

               
                

De Bogotá-Cartagena
Por Mirtes Guimarães

Se há uma coisa que eu a-do-ro é um “casco viejo”. Seja em que cidade turística que for, é o centro histórico o primeiro lugar que quero conhecer. E foi passeando pelo Casco Viejo de Bogotá que eu senti que a Colômbia estava me conquistando. Nas ladeiras ouro-pretenses da capital colombiana, passado e presente se entrelaçam em profusão de cores, cheiro e muita, muita arte e cultura. Do Museu do Ouro ao de Botero, da Casa de Cultura Gabriel García Márquez à Catedral Primaz da Colômbia, a região conhecida como La Candelaria praticamente prepara o turista para o que ele vai ver no país: crescimento econômico com muita modernidade sem abrir mão da preservação da cultura. 

E naquele domingo de Páscoa a “Plaza de Bolívar” era um exemplo disto. Mulheres vendiam milho frito (delicioso), doces a base de leite e coco (de estourar o limite de glicose de qualquer um), homens tocavam instrumentos típicos, crianças passeavam de lhama ou nos cavalos dos PMs, enquanto taxistas só atendiam chamados feitos por internet (rápida e eficiente) e no entardecer um prédio de mais de 30 andares de projeto contemporâneo virava uma tela para um espetáculo de luz, cor e som.

Economistas dizem que a Colômbia é um dos países que mais cresce no continente. Este ano, seu PIB deverá ser maior que o da Argentina. E será merecido. Na Capital e na região metropolitana o que se vê é muita obra. Novos viadutos, novas passarelas, alargamento de ruas, enfim uma empreitada de dar inveja ao Eduardo Paes. Lá, no lugar do metrô, eles têm um sistema de transporte público igual o de Curitiba, que eles chamam de Transmilenio. Ele corta grande parte da cidade e continua a crescer. Além dele, há ônibus pequenos mais confortáveis e mais bonitos que os nossos micro-ônibus. 

A gastronomia é uma maravilha a parte. Um almoço típico em uma ilha caribenha, um jantar em uma tratoria de Bogotá, um almoço light em uma rede de fast-food local, uma sopinha básica no hotel, carne à moda argentina num restaurante peruano, comprovaram que ainda há lugar no mundo em que se pode comer bem gastando pouco. Ah, e importantíssimo, o café e a cerveja local são deliciosos. 

Agora o que nos conquista mesmo é o povo. Educado, gentil e, sobretudo honesto para com o turista. Todo táxi que pegamos cobrou exatamente o que o pessoal do hotel calculou. Por bebidas, guloseimas e outras coisas compradas de ambulantes foram pagos os mesmos valores cobrados aos locais. Trocos foram dados sem faltar um centavo. E, olhe que eu falo com a autoridade que o apelido “Sarah Mirtes” me confere...

Aliás, por falar em compras, basta o brasileiro pisar na calçada de qualquer rua de Cartagena das Índias para ouvir um “Más barato que na 25 de marzo”. Sim, os paulistas invadiram aquela pérola colombiana. E sim, lá tem muitos ambulantes. Mas são amáveis e lembraram muito os da Bahia. A parte murada de Cartagena é uma espécie de Minas em frente ao mar. E lá mais uma vez se percebe a tradição, a história caminhando de mãos dadas com o presente. Equipamentos ultramodernos em casarões centenários. Obras de arte contemporâneas próximas a muralhas e igrejas medievais. E passando por elas jovens universitários, ambulantes que habitam ilhas que não têm eletricidade, mas contam com antenas parabólicas e sinal de internet de invejar carioca.

Sim, há pobreza na Colômbia. Passei por cidades que lembravam em muitas coisas as regiões metropolitanas de São Paulo, Rio e Belo Horizonte. Mas, até nelas se vê obras buscando melhorias. Acima de tudo se percebe no olhar e no falar do local um otimismo e uma alegria para com o que virá que já não se vê por aqui. O sentimento que fica é que a Colômbia está caminhando unida para o futuro enquanto nós ainda não decidimos que rumo tomar.

Mirtes Guimarães, jornalista mireiroca que traduz o cotidiano para o blog.

2 comentários:

  1. Mirtes, confere. Essa é a Colombia que eu vi e senti. PARABÉNS

    ResponderEliminar
  2. Zinha Bergamin18/05/14, 21:37

    Parabéns,Maninha! Delícia de viagem!
    Como vc recebeu o dom de Deus para escrever, ao fazê-lo, vc nos transporta para seu destino,tranquilamente! rsrs E é uma delícia!
    Fico feliz e com uma "santa inveja" ao saber que pelo menos a Colômbia está seguindo seu destino firme e forte, sem a petralhada para torturar! rsrs

    Gde bj a você!

    ResponderEliminar