sexta-feira, 26 de novembro de 2010

E NÓS PENSAMOS...

... porque não dói, para nós que temos consciência de nossas escolhas.


Quem não tem consciência do seu fardo concorre para sua autodestruição. Quem não busca conhecer seu fardo é igualmente culpado por suas escolhas inconscientes. Quem age inconscientemente autocoloca-se em situação de risco. (BSchopenhauer)

Crossroads:

Filme da década de 80 que virou cult. Conta a história de um estudante de música clássica, apaixonado por blues. Aficcionado por este estilo, descobre que Robert Johnson, famoso tocador de blues, tinha um contrato para gravar 30 músicas, tendo contudo gravado somente 29 até sua morte. Em busca da última música perdida de Robert Johnson, ele ajuda na fuga de Willie Brown (Joe Seneca), um antigo tocador de blues de um asilo-prisão. E assim começam a busca de ambos pela "Encruzilhada", local onde Robert Johnson teria vendido sua alma ao Diabo para se tornar um famoso cantor de blues.  Desfecho do filme se dá com esse glorioso duelo de guitarras entre o estudante de música clássica e o rockeiro do Diabo, Jack Butler (nada menos do que o guitarrista Steve Vai). 

Veneno Veludo, sem titubear, escolhe, ousada e conscientemente, juntar o erudito ao pop. Ou, cultura inútil. Sendo essa, a minha parte: inútil...

5 comentários:

  1. Amiga, esse filme e em especial o clip dessa musica, mudou a vida de milhares de jovens. Todos querendo ser um Steve Vai da vida.
    Sensacional.

    Lunar.

    ResponderEliminar
  2. Doc, não mudou a minha vida, mas me diverti à beça.

    Se bem que, pensando, agora: pode ter me ensinado um tanto de ousadia, ao ponto de montar um post como esse... É. Talvez.

    Abraço, Team Player!

    ResponderEliminar
  3. Não vou te negar Velvet, sou um amante incontido do Blues.
    No meu estágio de aprendizado atual de musica (Teoria, harmonia e escalas) estamos empacados no Blues e Rock n Roll.
    Com conhecimento prévio dos grandes blues e bluseiros ficou fácil aprender e tocar (acompanhar) alguns dos meus favoritos e isso tem sido fonte de muita alegria aqui. Sabe-se que o W C Hardy foi o primeiro negro a publicar um blues lá pelo 1911.
    Nascido no Delta Norte do Mississippi, congregou Godspell, Balladas Ritmicas negras alem do Jump Up tambem de origem africana.
    -Atravessou a Encruzilhada do Highway 49 com 61 e foi parar no Beale Street em Memphis e dali para o mundo.
    Robert Johnson foi quem gravou e emplacou mais hits nos Early days, seguido logo pelo Willie Dixon.
    Depois vieram os King (BB King, Albert King) Howling Wolf e Muddy Waters. Ih amiga, já virou um post !

    Lunarscape

    ResponderEliminar
  4. Pois o comentário vai pro V.I.P, Doc.

    Quem sabe você se anima e escreve sobre blues.

    Blues é hot!

    ResponderEliminar
  5. Escrevo com o maior prazer ! Só preciso de arrumar um tempinho...
    rsrsrsrsrs

    ResponderEliminar