domingo, 19 de dezembro de 2010

O POLÍTICO GALALAU


Há dias, neste espaço, num texto intitulado “Cuidado com o galalau!”, caracterizou-se aquele sujeito que, de forma insidiosa, invade as casas familiares, faz xixi no meio do sanitário, com a porta do banheiro aberta e, cúmulo do absurdo, "pega" as “filhas adolescentes”.

Pois bem, agora vale, para rir e chorar ao concomitantemente, expor um tipo de galalau que atua na política, especialmente a brasileira. 

Esse sujeito, de modo insidioso, sorrateiro, no início, invade uma casa muito maior, arrebata um país; e as “adolescentes” que ele "pega" são um povo quase inteiro, exceto, conforme últimas pesquisas fajutas, 4% de pais e mães de família, zelosos, cristãos, conservadores, direitistas, individualistas, egoístas... que, inexplicavelmente, resistem a se deixar - e a suas famílias -  arrebatarem pelo político galalau.

O sujeito chega a nossas casas por todos os meios possíveis, sobretudo durante o processo eleitoral – como seria bom que aparecesse apenas nessa época, todavia, cada vez mais, ele se faz presente diuturnamente! – e propõe pouca coisa: apenas apagar das mentes, das vidas, da história individual e coletiva todas as mazelas vividas nos últimos 500 anos, causadas por todos os governantes “opositores” passados. Resisti-se o quanto é possível, mas toda uma legião se entrega, mais ou menos “voluntariamente”. Afinal, trata-se do político galalau, irresistível, por óbvio.

Então, para convencer de que cumprirá aquela promessa redentora, e, com efeito, fazerem-se entregues “adolescentemente”, ainda durante aquele processo eleitoral, ele, fornido de muito ego, mas desprovido de superego, “palanqueia”, aos quatro cantos do universo, que todas as revoluções que propusera no passado, todos as suas rupturas com “tudo que está aí”, os seus juramentos revolucionários... mais não valem. A partir de então, somente cabe a sua garantia pessoal de manter os fundamentos econômicos, sociais, jurídicos, políticos já  aprovados pelos brasileiros. Assim, a maioria desses entrega-se “docemente” ao político galalau.

Com efeito, aprovado ainda pela maioria dos brasileiros “adolescentes”, ele arrebata um mandato político e começa, assim, a tomar conta de tudo. Apaga, sistematicamente, o passado que lhe antecedeu e começa a reescrever a história brasileira, mundial, universal... como “nunca antes neste país”. Quando, mal e bovinamente, questionado, colocado de frente ao próprio passado, ele, galhardamente, revela-se uma “metamorfose ambulante” e recebe sorrisos hipócritas como “contradita”.

Assim, ele prossegue obra, sem obras, apenas convolando as pretéritas em suas. Entra na casa que é um país, abre a geladeira, toma a cervejinha gelada, fecha-a com o pé, saboreia o churrasco de fim de semana, assiste ao futebol na “poltrona do papai”, faz xixi no meio do sanitário, com a porta do banheiro aberta... Ao final do dia, leva a “filha adolescente” para comer na pizzaria e, do dono da casa, a liberdade de dizer não.

Enfim, ele é o político galalau, irresistível... Menos para os 4% de pais e mães zelosos...

10 comentários:

  1. Um folgazão. Mas Brucutu "elabora resultados" melhores do que os políticos..

    ResponderEliminar
  2. Texto excelente, grande verdade. Mas, por favor, tenha dó do cachorrinho, ele não merece!

    ResponderEliminar
  3. Caraca, o Galalau é phoda, atropela a moral e a ética familial
    Uma tristeza ! ! !

    Sou fã do Galalau !


    Lunarscape

    ResponderEliminar
  4. Olá

    Galalau é barra pesada. Muito bom o texto mas, tenha dó do cachorrinho! rsrsrs

    ResponderEliminar
  5. Desculpem-me, mas minha vontade, é de vomitar em cima desse galalau.

    ResponderEliminar
  6. Mercia Maria Almeida Neves20/12/10, 21:41

    Por certo, existem políticos assim,coitado do animal ao ser comaparado a um ser-humano.
    Porém mais pertinente que tudo mensagem nos trás é uma união mais consolidada dos pseudo-conservadores e afins, ao invés de ataques que nem chegarão ao conhecimento de quem realmente precisa, estamos cientes, mas Ele? Ele é o Cara, nem sabe disso...

    ResponderEliminar
  7. Os pseudo-conservadores são mentirosos essenciais. Logo, são esquerdistas por natureza.

    ResponderEliminar