domingo, 28 de novembro de 2010

OMISSÃO PRODUTIVA


Diante do penúltimo confronto havido no Rio de Janeiro, entre os narcotraficantes-terroristas e as forças de segurança pública do estado, evidenciou-se, uma vez mais, o quanto, por ilógico pareça, a omissão é produtiva neste país de pragas. 

Chama atenção que, como sói, nesta espécie de confronto, os que comandam o governo federal autopromovem sua solidariedade, fraternidade, capacidade e disposição de “ajudar” o Rio de Janeiro, em tudo que for necessário.

Entretanto, a realidade, não a representação mitômana, é que o governo federal não precisaria “ajudar” o Rio de Janeiro solucionar o confronto em questão. Esse nem existiria, de fato, se os narcotraficantes-terroristas não conseguissem contrabandear drogas e armas de guerra de outros países para o Brasil.

Sendo assim, indaga-se: por que os narcotraficantes confrontam agora as forças de segurança pública do Rio de Janeiro? Simplesmente, porque eles podem, querem e têm poder de fogo para isso. E graças à omissão produtiva do governo federal, que não cumpre seu dever constitucional e legal de impedir o contrabando de drogas e armas para o Brasil.

Portanto, essa omissão produtiva do governo federal termina promovendo, fomentando, incentivando as ações dos narcotraficantes-terroristas contra a sociedade do Rio de Janeiro e do Brasil. Mas, para que a sociedade não perceba tal omissão e lhe cobre ações concretas e eficientes, relativamente ao que lhe é obrigatório, o governo federal propagandeia que vai “ajudar” o governo do Rio de Janeiro.

Enfim, o governo federal é incapaz, incompetente, omisso produtivamente, em cumprir seu dever de proteger a sociedade do contrabando de drogas e armas, mas é bom de marketing solidário.

E os imbecis agradecem.

10 comentários:

  1. Muito boa essa abordágem, leitura obrigatória.

    Lunarscape

    ResponderEliminar
  2. atakardiac28/11/10, 10:45

    E os imbecis preferem ignorar que todo esse inferno é financiado por usuários de maconha e cocaína. Estes são os maiores criminosos a serem combtidos.

    ResponderEliminar
  3. Câmeras e holofotes, valei-nos.

    ResponderEliminar
  4. E eu com isto?

    A culpa é sempre do outro. Comodo e eficiente para manter as coisas como estão.

    Nem os EUA com todo o seu poderio impede com eficacia a entrada de drogas e armas em seu territorio.

    O que eles tem de melhor é o combate correto quando estas armas "emergem" no mercado.

    O problema do Brasil é a corrupção policial junto com ineficacia de nossa justiça e o apoio TOTAL da classe media carioca aos que verdadeiramente movem a maquina: Os USUARIOS!

    O resto é a comoda politicagem dos ativistas de ar-condicionado!

    ResponderEliminar
  5. Sem mencionar que a CPI "Das Milicia" ficou totalmente ignorada pelo MP e pelas "Autoridades", pelo menos até agora.

    Na verdade essa história toda vem á tona agora porque a luta do Trafico contra as Milicias estava sendo travada em silencio.

    A Milicia inicialmente não queria nada com as drogas, mas perceberam o potencial do "negócio" e se meteram! Assim dominam a distribuição de Gas, GatoNet, Drogas, Vans e Prostituição local.

    A Propina para a PM fazer segurança e vista grossa corre solta....Isso tudo para alimentar o vicio do "Pauricinho e Patricinha" do asfalto.

    Com a chegada do Crack, á R$ 1 a pedra, até pobre se viciou e hoje tem morros cariocas com 50% de viciados. Zumbis mesmo!

    ResponderEliminar
  6. Espero apenas que a ação supere a propaganda. É pedir muito?

    ResponderEliminar
  7. Vamos ver...
    -Lulla iMundo vai à Bolívia preencher vaga acordo que EUA suspenderam com o país de Evo Cocales.
    - O motivo dos EUA se afastarem é porque Cocales se recusou a assinar cláusula de combate às drogas.
    - Lulla resolve ajudar. Na cidade que mais produz coca, o Demiurgo assina o acordo sem exigir combate ao tráfico e , pasme, tira foto ao lado de Evo com um colar de coca no pescoço.

    É mole?

    ResponderEliminar
  8. É duro, Alexandre. De engolir!

    ResponderEliminar
  9. @Noemia_Fannco28/11/10, 19:28

    Gente,
    acho que certamente a questão é mais complicada que qualquer um imagina...
    Como um ciclo vicioso, Estado X Cidadão ficam jogando a responsabilidade de um para o outro.
    Não quero dizer aqui, que não faço isto, mas gostaria de dizer que acho que é hora de buscar soluções...
    Quer queira ou não, existem trabalhadores honestos que buscam segurança pra fazer as suas atividades cotidianas...
    Tem também os marginais que precisam de reabilitação, seria possível? Ou é possível?
    Existe também a população de usuários, dependentes, doentes...como quiser dizer, que precisam de tratamento...
    Acho que a 'Guerra contra o Trafico' começou e Gostaria D+++++
    que não acabasse em PIZZA, e realmente o Governo ou REPRIMA ou REGULARIZE. Como está acredito que não esteja dando certo mesmo.

    >Ore sempre pelo Brasil!
    Abração.

    ResponderEliminar
  10. Noêmia, pagamos o preço do livre-arbítrio. Deus, que é por nós, sabe que temos que arcar com essas consequências... São nossas escolhas ou nossas omissões que elegem os governos que aí estão.

    Obrigada pela visita e comentários. Venha sempre.

    ResponderEliminar