sábado, 27 de novembro de 2010

MINHA CIDADE ESTÁ SITIADA!



Bom, vou começar este texto confessando uma coisa: neste momento não estou nem aí para a tal imparcialidade jornalística, ok? Aqui não é jornal e eu não escrevo como jornalista. Isto posto, vou direto ao ponto: Estou de saco cheio com o politicamente correto, com o patrulhamento contra a polícia e com os “especialistas” que experts ou não em alguma coisa populam nos blogs, na imprensa e no twitter.

Tem gente que sequer subiu uma favela na vida, gente que nunca esteve no Rio, gente que só acompanha tudo do conforto dos seus lares, tecendo regras e criticas. Se não fosse uma mulher fina, educada e tranqüila, eu mandaria todos para a.... Grota Funda, mesmo sabendo que eles não teriam a mínima idéia de onde é isto.

Chega de nariz de cera  e vamos ao que interessa. Neste momento helicópteros sobrevoam meu prédio, a dezenas de quilômetros da Penha, mas próximo à Santa Tereza e Catumbi. Na quinta-feira à noite, o comércio da rua principal do meu bairro foi fechado. Em minutos, Core (Coordenadoria de Operações Especiais da Polícia Civil) e PM chegaram. Mas, mesmo assim, o comércio preferiu não re-abrir. Moro aqui há 26 anos, e nunca isto ocorreu.

Desde o início da semana a rotina do carioca foi ligar para amigos e parentes a fim de saber se todos estavam bem. Ninguém sai de casa antes de ter certeza de que o trajeto que será feito está seguro. Taxistas também só circulam se comunicando um com o outro. E no meio de tudo isto, ainda vejo coleguinhas e policiais amigos trabalhando 24hs e se desdobrando para cumprirem suas funções. Coleguinhas que tiveram treinamento de guerra não só no Exército Brasileiro, como também com especialistas de Israel!!!!!!!

E aí vem os “experts” e as ongs  criticarem imprensa e a Polícia e pedirem paz!
Falam que temem derramamento de sangue. Ok, mas onde eles estavam durante toda esta semana infernal? Não vi uma ong nas madrugadas andando pelas ruas do Rio pedindo ou “negociando” com os bandidos que incendiavam veículos e atiravam contra cidadãos. A minha cidade está sitiada! E a paz só virá com enfrentamento! 

Neste momento, a Globo News mostra mais um tiroteio no Alemão. Nervosa, a Leilane Neubarth pede que a repórter Fernanda Grael se proteja, lembrando que ela é mãe de gêmeos!!!! Esta fala dela, que os “experts” considerariam não profissional, demonstra a tensão que vivemos aqui. 

Por isto tudo danem-se os experts, as ongs e o “pessual dus direitos humanos”. O Rio sitiado só quer uma coisa: que o Bope e todo o efetivo policial “pegue um, pegue geral”! Só assim poderemos sonhar com uma paz duradoura.




(Nota da Velvet [1] Leia aqui outros artigos sobre o tema: Omissão Produtiva; O Circo Armado; Tragédia Anunciada; e [2] Clique aqui no Entrega Corisco para ler outro artigo da autora, sobre o tema: A semana em que o Rio virou Iraque)

17 comentários:

  1. Minha querida, falou por mim, falou pelo sofrido povo carioca.
    Amei seu texto, que exibe claramente o desespero que nos acomente. Bjs.

    ResponderEliminar
  2. "Moro aqui há 26 anos, e nunca isto ocorreu."

    É a frase mais importande do seu post. É bom ler textos de alguém do rio.

    ResponderEliminar
  3. Querida Márcia,minha maninha!

    Eu imagino como deve ser duro passar pelo que os cariocas estão passando agora!Ninguém mesmo merece isso...

    Gostei mto do seu desabafo;foi sincero, contundente e mto verdadeiro.

    Mas vamos pensar positivo, pedir que Deus ilimine os dirigentes, p/ que eles não abram a guarda, e que esses bandidos sejam realmente eliminados do Rio!

    Seria uma bênção ao povo carioca, mas principalmente às pessoas simples dos morros que vivem dominadas por essa corja que são os traficantes!
    Rezemos ao Senhor!

    ResponderEliminar
  4. Muito bom seu texto, não há outra coisa a fazer, a não ser enfrentar os bandidos e devolver a paz à população.
    Entre bandidos e pessoas honestas, não há meio termo.
    Abraços,

    ResponderEliminar
  5. Só quem vive no Rio, sabe.

    Nós outros, apenas imaginamos.

    ResponderEliminar
  6. João Paulo M.27/11/10, 19:05

    Muito bem colocado. E a foto lá em cima foi muito bem escolhida.

    ResponderEliminar
  7. Grande relato. Com emoção real. Sabemos bem o que estamos vivendo!

    ResponderEliminar
  8. atakardiac27/11/10, 19:14

    É um fato que tem muito peru de fora se manifestando. Realidade aqui do Rio é ver filho sair com a namorada e não saber se vai voltar. É ir para o trabalho avisando a esposa td hora que está tudo bem.

    Também não quero derramamento de sangue, sei que policiais e soldados, além de vários outros profissionais que estão lá no Alemão estão arriscando a vida.

    Mas todos sabemos também que não tem mais volta e que uma derrota desse bando, seja por bala seja se entregando vai ser um golpe duro no tráfico e na bandidagem.

    É um começo, é uma esperança que não esperava desse governo,mas que aconteceu e eu valorizo. Deus nos ajude a dar golpe trás golpe em todo o ciclo da droga, do consumo ao tráfico, sem tolerância com bandido ou com usuários bem nascidos.

    ResponderEliminar
  9. Maria Reis27/11/10, 19:19

    Quando estudei no Rio há uns 15 anos não conseguia entender porque a violência não deixava as pessoas (pelo menos as que estudavam comigo) indignadas.

    Mas lendo seu desabafo pude sentir a indignação de uma carioca vivendo num verdadeiro estado de guerra, e como deve ser angustiante não poder fazer nada, a não ser esperar que o Estado seja capaz de corrigir uma omissão histórica dele.

    Que o Rio volte a ser a Cidade Maravilhosa e seus moradores voltem a viver em paz!

    ResponderEliminar
  10. Perfeita sua colocação.... esse povo das ONGS e DH só estão esperando parar as balas para defenderem os bandidos mortos... mas quem perdeu carros.... e vidas.... não tem direitos humanos... só bandido....
    Quero mesmo o que vc... que subam o morro e arranque cada traficante do buraco.. e se puder mate cada um... como eles fazem com o cidadão comum...
    olho por olho...dente por dente....
    O RJ precisa de paz... e de segurança.. e os babacas contrários que vão trabalhar no IRAQUE... la sim tem muita coisa pra ser vista...
    Este pais só esta assim pq existem os pseudos sabidões e palpiteiros... que são contrários a tudo que é bom para a população como um todo... comunidade é comunidade... população é população...cada um tem o seu valor...e direito.. as comunidades acobertaram e protegeram durante anos esses bandidos...
    Pra frente BOPE... manda bala mesmo!!!

    ResponderEliminar
  11. marcia190727/11/10, 19:52

    gente
    brigadim pelo apoio e por terem entendido meu desabafo.

    ResponderEliminar
  12. Esse policiamento da imprensa é que não deixa a polícia fazer o que deve ser feito.
    Lembro dum caso aqui em SP em que um moleque de 18 anos fez refém a ex-namorada e amiga. Por causa do patrulhamento da Sonia Abrao, aquela que defende Rafael Ilha, os snippers tinham o malandro na mira mas, pela tv, ao vivo, a apresentadora contava o quão "bom" era o "menino". Segundo o que relatava, ele nunca teve passagem pela polícia, trabalhava em dois empregos para ajudar a mãe etc.
    Resultado: deu um tiro na boca da amiga e matou a ex-namorada.

    Fim!

    Gostou da história? Pois é, triste fim de uma vítima por causa desse patrulhamento ordinário.

    Somos reféns dos bandidos.

    ResponderEliminar
  13. Mirtes, você está plena de razões e concordo com tudo que disse. Parabéns!
    É guerra! Uma força tática não pode dar fuga ao seu alvo. Ou você ataca para exterminar no local da batalha, ou cerca e embosca a rota de fuga, para proteger inocentes, e leva a batalha para campo seguro, mas é guerra. Está implícita a morte do inimigo.
    O perdão e a condescendência não é nosso, é de Deus. Os mesmos conceitos que eu utilizo, são todos aqueles empregados por todas as religiões em relação à guerra e ao direito de liberdade da sociedade reta.
    Entregou-se, enjaula. Enfrentou, morre! Não há outro jeito. Que direitos têm esses bandidos que colocaram uma cidade inteira sob ameaça de morte e de medo?

    ResponderEliminar
  14. Cara amiga, voce expressou com muita propriedade o sentimento geral nosso e quando digo nosso, falo em nome dos que trabalham e pagam impostos.
    Voce foi direto na "ferida" do Brasileiro; Enfrentamento. O Brasileiro nunca foi disso, sempre foi omisso e empurra com a barriga. O problema tem duas saidas: ou se resolve sozinho, ou há de se ter uma atitude resolvendo o.
    Estamos aplaudindo PMs, BOPE e Forças Armadas que podem arriscar as suas vidas enfrenteando bandidos financiados por poderosos. Isso por apenas 850 reais por mes.
    O pessoal das ONGS mamam fortunas do governo e não resolvem porra nenhuma, e o povo dos "Direitos Humanos" só aparecem depois para criticar.
    Te pergunto aonde estava esse "povo" quando o Mauricinho ou a Patricinha subiam ao Morro para comprar drogas ?
    Aonde estavam quando bandidos trucidavam civis inocentes em roubos de carros ?
    Concordo contigo em quase tudo Mirtes, Menos em mandar para Grota Funda (é perto demais da minha casa!) :)
    Lunarscape

    ResponderEliminar
  15. marcia190727/11/10, 21:59

    ops, tem razão Lunar!
    então onde está escrito grota funda, leia-se gogó da ema ou qq outro lugar bem distante e de preferência bem mais violento que a grota funda (rs)

    ResponderEliminar
  16. Que texto arretado. Fico Xuxo da vida quando esses certinhos se pintam de caridosos, bons mocinhos e coisas que o valha.
    Na hora da onça beber água não aparece ninguém.
    Aquela estradinha de terra na fuga da Penha merecia sim uns snipers fazendo limpeza pública.
    Com bandido, É pau prá comer sabão e pau prá saber que sabão não se come.

    ResponderEliminar
  17. Cara Mirtes.

    Seu texto diz tudo o que muitos querem falar mas tem medo da patrulha politicamente correta.
    Guerras em outros paises ceifam muito menos vidas.

    ResponderEliminar