O BRASIL TRANSFORMADO NESTEPAIZ


Pode-se compreender a política, essencialmente o lócus de atuação do homem na sociedade, a partir de diversas perspectivas, entre quais as objetivas, concernentes aos fatos do processo político; e as subjetivas, relacionadas aos agentes do mesmo processo. Desta feita, sumariamente, há a política dos fatos e a política autor.

Com efeito, objetivamente, os fatos, em si, podem se valorados bons ou ruins, benéficos ou maléficos, virtuosos ou viciosos, relevantes ou irrelevantes, interessantes ao público ou ao individuo etc., independentemente de quem figure como sujeito ativo ou passivo. Enquanto, de outro lado, subjetivamente, fazendo-se tábula rasa da essência dos fatos, eles podem ser valorados a partir do que é bom ou ruim, benéfico ou maléfico, virtuoso ou vicioso, relevante ou irrelevante, interessante ao público ou ao indivíduo etc., indissociavelmente de quem sejam sujeito ativo ou passivo dos mesmos.

Dito isso, tem-se que, nestepaiz, mediante o concurso ativo ou passivo, dos indivíduos, da sociedade, das instituições, inclusive da imprensa genuflexa voluntária, os fatos políticos não se valoram, objetivamente, em sua essência, mas exclusivamente desde lócus subjetivamente ocupado pelo esquerdismo, em geral, e pelo petismo, em especial. Portanto, os mesmos fatos são valorados bons ou ruins, benéficos ou maléficos, virtuosos ou viciosos, relevantes ou irrelevantes, interessantes ao público ou ao individuo etc. a depender estritamente de se atribuírem aos agentes do esquerdismo/petismo ou seus adversários. Incrivelmente, esse modus operandi passa a ser um “dado da natureza”!

Isso, mais uma vez, ficou perfeitamente claro, nesta semana, quando o governo do petismo fez o Congresso Nacional aprovar o salário mínimo - o nanosalário - de R$545,00, para o Brasil todo, sob o fundamento de que tal é bom, benéfico, virtuoso, relevantíssimo para os indivíduos, a sociedade, as instituições destepaiz.  Paralelamente, todavia, o mesmo petismo propõe um salário mínimo (macrosalário) de R$830,00, somente para o estado de São Paulo, governado por seus “adversários”, também sob alegação de que tal é bom, benéfico, virtuoso, relevantíssimo para... estepaiz.

Enfim, seguem os indivíduos, a sociedade e as instituições do Brasil, prisioneiros capturados pelo modus operandi do esquerdismo/petismo, que o transforma, cada vez mais, na gênese destepaiz.

BSchopenhauer

(Nota da Velvet: Indicado por Doutor Evil, um dos cérebros da velha guarda dos debates da internet mais perspicazes e agudos que conheço, como a trilha sonora do post.) 


Arquivo: 


Comentários

  1. Texto brilhante...

    De fato estamos aprisionados. Não esqueçam: terminaremos o governo Dilma com 12 anos de PT no Brasil. Terão sido 12 anos de ideologia política podre injetada nas escolas públicas... Urge a formação de uma oposição a altura do combate.

    ResponderEliminar
  2. A essência dos últimos....8 anos, aproximadamente, é do desgoverno e da capacidade de fazer com que o povo acredite que aquilo que lhe foi imposto é o que realmente desejava, numa manobra subliminar digna de mestres do terrorismo psicológico.
    Texto brilhante! Parabéns!

    ResponderEliminar
  3. E eu me pergunto cadê o pessoal da gritaria? Cadê o sindicato berrando nos megafones?
    Donde se conclui que o mesmo raciocínio que vc fez para os políticos serve para o povo!
    Também entre os teleguiados o bom depende de n coisas e o valor do salário mínimo, o que ele pode comprar, o quanto de bem e desafogo ele pode proporcionar passa a ser relativo não é?
    Conclusão: estamos perdidos!

    ResponderEliminar
  4. O risco para a real liberdade está cada vez maior depois que eles acham que podem ficar brincando de mudar a Constituição através de leis ou usar a maioria alugada para tal.
    Com falei na Tribo, querem transformar a bíblia de nossa democracia num mero gibi.

    ResponderEliminar
  5. marcia190726/02/11, 16:34

    o pt está virando a arena do sec XXI e este será o início do seu declínio..

    ResponderEliminar
  6. Na condição de empregador, poderia eu estar aplaudindo tão irrisório aumento no salário mínimo, assim pago menos; proporcionalmente, desconto menos para o erário. Mas se meu empregado não estiver feliz, eu não ficarei sossegado. Num país de gente essencialmente desonesta (lá vem pedrada), empregado insatisfeito põe em risco minha segurança. A questão do salário mínimo em relação ao petismo é justamente o que o autor expôs: a contradição. Em campanha prometiam tanto, na cadeira esquecem-se, mais uma vez, do que prometeram.

    ResponderEliminar
  7. Com Gramsci inserido insidiosamente nas escolas, temo que não saiamos tão cedo do lamaçal em que nos debatemos. Grito, mas de luto fechado.

    ResponderEliminar
  8. Carolina tem razão. E estepaiz não se recuperará nunca disso, desses 12 anos. Não há chance de recuperar o que a esquerda petista fez, e ainda fará, de pior.

    ResponderEliminar
  9. Mercia Maria Almeida Neves27/02/11, 22:08

    Concordo com a Marcia, eu não creio que isso perdure mais, já é sabido toda a armação que foi feita para o ex não cair durante mensalão.
    Com tantos descretidos e ótimo que a mídia denucie, eles não vão muito longe, Serra não levou por pouco, há contradição também em estatisiticas em que mostra um Presidente com uma percentagem tão alta de 83% popularidade, não eleger sua escuedeira de primeira.
    Ela tá se enforcando e pelo povo, pela ética, pela LUZ, eu tô amando!

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares